terça-feira, 29 de novembro de 2016

Penafiel | Previsão Meteorológica- 29 de Novembro a 5 de Dezembro


Informação avançada pelo Serviço Municipal de Proteção Civil de Penafiel

Previsão meteorológica:
Semana de 29 de novembro a 5 de dezembro

Para esta semana prevê-se muita nebulosidade com a presença de nuvens altas mas sem precipitação. O vento irá soprar fraco a moderado.
As temperaturas vão oscilar entre os 5ºC e os 8ºC de mínima e a máxima entre os 12ºC e os 17ºC.

Não se prevê a ocorrência de situações meteorológicas adversas.

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Altar de Nossa Senhora do Rosário-Igreja Matriz de Penafiel

Património da Cidade de Penafiel

 Bonito altar de Nossa Senhora do Rosário, na Igreja Matriz de Penafiel 


Penafiel é a única “Autarquia Familiarmente Responsável” do distrito do Porto

O Município de Penafiel é o único do distrito do Porto a receber em 2016 a bandeira de “Autarquia Familiarmente Responsável”, atribuída pelo Observatório das Autarquias Familiarmente Responsáveis, avançou hoje à Lusa o presidente da Câmara.
Fotografia- Câmara Municipal de Penafiel

“É um reconhecimento que nos deixa muito felizes. Era um objetivo que perseguíamos desde o início do nosso mandato e pelo qual temos trabalhado de forma muito intensa e empenhada”, comentou.
Segundo a página do Observatório na Internet, nos distritos do Norte do país, além de Penafiel, serão premiados este ano os municípios de Braga, Boticas, Póvoa de Lanhoso, Vieira do Minho, Famalicão e Vila Real. Em termos nacionais, o galardão vai ser atribuído a 58 autarquias, em cerimónia que decorrerá em Coimbra, no dia 7 de dezembro.
Para o presidente da Câmara de Penafiel, o reconhecimento do Observatório das Autarquias Familiarmente Responsáveis é o “corolário de um trabalho que se vem desenvolvendo neste mandato, constituído por um conjunto intenso e organizado de medidas que o Município foi aprovando e implementando”.
Como exemplo de medidas de apoio às famílias mais numerosas e desfavorecidas, o autarca recordou haver no concelho tarifários mais favoráveis de água, saneamento e resíduos, apoio ao arrendamento municipal e IMI com a taxa mais baixa que a lei permite e desconto de 20% para as famílias com três ou mais filhos.
Apoio na aquisição de medicamentos, reparações domésticas, programa de voluntariado de proximidade para evitar isolamento dos idosos, apoio na aquisição dos livros e material escolar, refeições escolares, programas de férias educativas e acesso mais económico aos equipamentos desportivos são outras medidas que, vincou, beneficiam muitas famílias de Penafiel.


“Temos condições singulares no acolhimento”
Antonino Sousa insistiu que aquele conjunto de apoios “pretende criar as melhores condições possíveis para que os penafidelenses se sintam bem no concelho” e atraiam outras populações.
“Temos condições singulares no acolhimento e na forma como apoiamos as famílias, com uma especial preocupação para os mais jovens, para as famílias numerosas, mas também para a população mais sénior”, assinalou.
O presidente daquele município do interior do distrito do Porto evidenciou que o galardão de “Autarquia Familiarmente Responsável” vem na sequência de outras distinções, recordando que “o concelho foi eleito três vezes consecutivas como o melhor da região do Tâmega e Sousa para viver, visitar e investir”.
O Observatório das Autarquias Familiarmente Responsáveis é um organismo criado no âmbito da Associação Portuguesa das Famílias Numerosas, em parceira com Instituto da Segurança Social
O galardão atribuído por este Observatório premeia as autarquias comprometidas com políticas amigas das famílias com filhos, com a sua qualidade de vida e inclusão social.~

Fonte desta notícia | Tâmega e Sousa.Pt | Agência Lusa
Partilhada do site- tamegasousa.pt

domingo, 27 de novembro de 2016

Penafiel ao Luar | Santuário de Nossa Senhora da Piedade e Santos Passos


Penafiel ao Luar!
Santuário de Nossa Senhora da Piedade e Santos Passos
 (vulgarmente chamado de Igreja do Sameiro)

Postais de Penafiel | Jardim do Sameiro


Cores do Outono já cobrem o Jardim do Sameiro em Penafiel 


Milhares de Pessoas estiveram no São Martinho em Penafiel

Castanhas Assadas, Vinho novo, artesanato, cantares ao desafio, feira pelas ruas da cidade, carrosséis, farturas e Tortas de S.Martinho, foram alguns dos ingredientes que ditaram mais um sucesso do S.Martinho em Penafiel.
Durante 11 dias, centenas de milhares de pessoas acorreram à cidade de Penafiel para festejar o seu padroeiro.


Apesar de a 11 de Novembro o céu aparecer encoberto, o Verão de São Martinho surgiu dois dias depois, dia 13, convidando milhares de Penafidelenses e forasteiros que não quiseram perder a oportunidade de visitar uma das maiores e mais dinâmicas feiras comerciais do distrito do Porto.
Por estes dias, as ruas da cidade de Penafiel ficaram preenchidas pela festa, que tinha ao dispor uma grande variedade de produtos, desde os sectores de vestuário e calçado, têxteis, lar, ferragens e ferramentas, maquinaria agrícola e até comerciantes de gado, com a tradicional feira do gado bovino e cavalar. 



No Pavilhão de feiras e exposições e no Campo da Feira estiveram montados verdadeiros parques de diversões, onde estavam presentes inúmeros carrosséis para todas as idades, gostos e feitios. Nos referidos locais e um pouco por toda a cidade, não faltaram também rulotes de cachorros e de farturas quentes.
Ainda no pavilhão de Feiras e Exposições reuniram-se mais de 35 mil motards para a tradicional concentração motard de S.Martinho.

Este ano foram vendidas mais de 20 toneladas de castanhas assadas e mais de 12 mil tortas de S.Martinho! 

Falar de S.Martinho é falar de Gastronomia e esta festa apresentou, como já é tradição, uma oferta gastronómica de comer e chorar por mais.
Nos restaurantes e tasquinhas da cidade multiplicaram-se as provas de vinho novo, fazendo jus ao ditado "pelo S.Martinho vai à adega e prova o vinho".
No lugar de puços, as pessoas tinham a oportunidade de, na compra duma caneca, fazer a prova dos vinhos da região, sendo que este ano foram vendidos cerca de 200 mil litros de vinho.

A acompanhar o vinho novo, não faltaram castanhas assadas, rojões, papas, iscas de bacalhau, pão com chouriço e tortas de S.Martinho, ao som de uns brejeiros cantares ao desafio e de atuações de grupos folclóricos e etnográficos do concelho, que deram a Penafiel um ambiente único.

Dia 11, Feriado Municipal e Dia de S.Martinho, teve o seu ponto alto com a missa solene em honra de S.Martinho, sendo visitado por milhares de pessoas na Igreja Matriz. A celebração teve a participação de centenas de pessoas. 


Também no dia 11, o Programa A Praça da RTP1 conduziu a sua emissão através do São Martinho em Penafiel. Apresentado por Jorge Gabriel e Sónia Araújo e acompanhados por Helder Reis, o programa deu a conhecer Penafiel e suas tradições a todo o país.

Somos Portugal da TVI esteve em Penafiel

 Durante mais de 6 horas, o Programa Somos Portugal da TVI mostrou ao País e ao Mundo o que de melhor Penafiel tem para oferecer!!!
As suas Riquezas e Tradições, o seu Património, o desporto concelhio,  as Termas, o Museu, e a gastronomia local foram alguns dos destaques!!!
O Programa conduzido por Leonor Poeiras, Nuno Eiró e Mónica Jardim, e ainda as reportagens de Manuel Melo, decorreu na Praça Escritaria, em pleno Jardim do Sameiro perante milhares de pessoas!! 
Além de mostrar Penafiel, o programa contou com animação musical a cargo de artistas bem conhecidos, como Jorge Guerreiro, Ricardo & Henrique, Tânia Sampaio, entre outros.
Chegada a feira ao fim, pode-se dizer " a tradição ainda é o que era".
Ficam algumas fotografias da festividade

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

A Magia do Natal está em Penafiel! Milhares de visitantes esperados na Cidade Natal

Penafiel volta a brilhar com programa “Penafiel Cidade Natal”


Prenda gigante com 10 metros de altura vai colorir centro histórico


Câmara Municipal vai envolver alunos do concelho que vão expor, nas ruas da cidade, trabalhos alusivos à quadra natalícia





O espírito natalício vai espalhar-se pela cidade de Penafiel a partir do dia 1 de dezembro, com mais uma edição do “Penafiel Cidade Natal”.

Esta iniciativa, dinamizada pela Câmara Municipal de Penafiel e a Associação Empresarial de Penafiel, vai, uma vez mais, animar o comércio local, turistas e cidadãos, com muita luz, cor, música e um vasto programa de animação.


Na edição 2016 “Penafiel Cidade Natal”, o destaque vai para a prenda gigante com 10 metros de altura e 80 metros quadrados, que será instalada em frente à Igreja da Misericórdia.

Dentro da prenda estará o Pai Natal a animar e distribuir mimos, junto dos mais novos e visitantes. O comboio turístico vai também percorrer a cidade, animando o comércio tradicional. As crianças terão ainda a oportunidade de usufruir de momentos lúdicos, como é exemplo os carrosséis.


Pela primeira vez, a comunidade escolar do concelho, incluindo instituições escolares privadas, foram convidadas pela Câmara Municipal a participar no programa “Penafiel Cidade Natal” e vão expor os seus trabalhos alusivos à quadra natalícia, em 9 painéis espalhados pela cidade.


À tradicional iluminação e decoração de Natal, nos principais acessos à cidade, vão juntar-se seis cenários natalícios espalhados pelo centro de Penafiel, com teatro de rua e desfiles.

A iluminação de Natal estará nas principais ruas da cidade de Penafiel – Rua Joaquim Cota, Rua Alfredo Pereira, Rua do Paço, Rua O Penafidelense, Praça do Município, Avenida Sacadura Cabral, Avenida Egas Moniz, Avenida José Júlio, Jardim do Calvário, Rotunda de Louredo, Rotunda do Abraço, Rotunda de Santa Marta, Zona do Sameiro e ainda as Igrejas da Cidade.


Nesta edição haverá ainda uma exposição e concurso de fotografia para homenagear Sebastião Borges, fotógrafo penafidelense.


O programa termina na Passagem de Ano, na Praça Escritaria, ou no Pavilhão de Feiras e Exposições, dependendo das condições meteorológicas, com uma sessão de fogo-de-artifício e concertos dos Irmãos Verdade e de Alberto Índio, além dos DJ’s Joana Cruz e Rodrigo Lopes, da rádio RFM, parceira do evento.

Fonte desta notícia | Câmara Municipal de Penafiel

Câmara de Penafiel vai continuar a distribuir gratuitamente fruta nas Escolas

Iniciativa abrange mais de 4 mil alunos do 1.º ciclo do ensino básico e educação pré-escolar


A Câmara Municipal de Penafiel vai continuar a distribuir fruta pelas escolas do Concelho para o ano letivo 2016/2017.
A medida vai ainda ser alargada às crianças dos jardins de infância, no qual a Câmara Municipal assume a totalidade das despesas.
O programa “Fruta Escolar” abrange mais de 4 mil alunos do 1.º ciclo do ensino básico e educação pré-escolar, e tem como objetivo a promoção de hábitos alimentares benéficos para a saúde das crianças e a redução de custos socioeconómicos, associados a regimes alimentares menos saudáveis.
Para Rodrigo Lopes, Vereador com o Pelouro da Educação da Câmara Municipal de Penafiel, “Dar continuidade a este projeto significa que continuamos atentos e sensíveis com a alimentação das nossas crianças e o seu bem-estar. É importante sensibilizar junto dos mais novos e suas famílias o consumo de fruta, um elemento essencial para o desenvolvimento e rico em vitaminas. Com este programa, os alunos vão ter acesso a mais e diferentes frutas, reforçando o que já é feito nos centros escolares do nosso concelho.”
Enquadrada no programa, a fruta vai ser distribuída duas vezes por semana, e contempla frutos como, maçã, pera, clementina, tangerina, laranja, banana, cereja, uvas, ameixa, pêssego, cenoura e tomate.
A edição 2016/2017 do projeto “Fruta Escolar” vai contar ainda com a realização de uma peça de teatro, salientando junto dos mais novos os benefícios do consumo de frutos.

Fonte desta notícia | Câmara Municipal de Penafiel

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Jornalista da RTP, Carlos Daniel, apresentou o seu livro “Futebol a Sério”, em Penafiel

A Biblioteca Municipal de Penafiel recebeu, no dia 18 de novembro, a apresentação do livro “Futebol a Sério”, de Carlos Daniel, jornalista da RTP. A iniciativa contou com a presença do Presidente da Câmara Municipal de Penafiel, Antonino Sousa, do treinador do Boavista Futebol Clube e ex treinador do Futebol Clube de Penafiel, Miguel Leal, e Rui Quinta, que foi treinador adjunto de Vitor Pereira no Futebol Clube do Porto, de 2011 a 2013, e treinador do Futebol Clube de Penafiel na época 2008/2009 e 2014/2015.


Para Carlos Daniel, jornalista da RTP e comentador de futebol, “Com este livro quero ajudar as pessoas a perceber melhor o jogo de futebol e a acreditar mais na essência do jogo, sem entrar pelo prisma da suspeita. Temos de olhar o jogo por aquilo que ele vale. É importante refletirmos sobre a metodologia ganhadora implementada em Portugal, pois trata-se de um fenómeno seguido em muitos países.”
O livro “Futebol a Sério” é uma abordagem ao futebol com táticas e equipas que revolucionaram o fenómeno desportivo.
Para Antonino Sousa, Presidente da Câmara Municipal de Penafiel, “Neste livro, o autor aborda a temática do futebol com conhecimento profundo da sua história, sem falar de clubismo. Com vasta experiência profissional, o jornalista traz-nos a reflexão e a visão da essência do desporto mais praticado no nosso país e um caso de sucesso a nível mundial.”
O livro mostra ainda uma nova perspetiva sobre como se deve assistir a um jogo de futebol, e a importância do treino e dos treinadores portugueses.
Também Miguel Leal, atual treinador do Boavista Futebol Clube, elogiou a obra afirmando que “é um livro de altíssima qualidade. Muitas vezes recorro a este livro para relembrar determinados temas, como a metodologia de treino. Temos de olhar para o passado para nos inspirarmos no futuro”.
Já Rui Quinta frisou a capacidade crítica do livro, “É uma obra que nos faz refletir, e um excelente exemplo de conhecimento profundo sobre esta matéria. Para nós, treinadores de futebol, é essencial desenvolvermos esta capacidade crítica para sermos cada vez melhores.”


Fonte desta notícia | Câmara Municipal de Penafiel

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Proteção Civil de Penafiel vai abater palmeira afetada por praga do escaravelho

Proteção Civil de Penafiel vai abater palmeira afetada pela praga do escaravelho da palmeira (Rhynchophorus ferrugineus), situada na Avenida Pedro Guedes, por motivos de segurança a pessoas e bens.

Município de Penafiel lamenta abate de árvore emblemática.

No âmbito do processo de monitorização do arvoredo municipal, o serviço de protecção civil de Penafiel, em articulação com a divisão do ambiente da Câmara Municipal de Penafiel, verifica a necessidade de proceder ao abate de uma palmeira situada na Avenida Pedro Guedes (em frente ao quartel dos Bombeiros Voluntários de Penafiel) por esta se encontrar afetada, sem recuperação possível, pela praga do escaravelho da palmeira (Rhynchophorus ferrugineus).

O Município de Penafiel é detentor de um considerável e valioso acervo de palmeiras afectadas, infelizmente, com esta praga.

Após a identificação dos primeiros exemplares de palmeiras afetadas na cidade de Penafiel, em 2015, o Município de Penafiel fez um considerável investimento no tratamento de controlo da praga do escaravelho neste exemplar arbóreo, de acordo com o plano de ação da DRAP-Norte, que consistiu na pulverização regular de um produto fitofarmacêutico para o combate da praga.

Mesmo com os redobrados esforços aplicados no tratamento da palmeira, situada em frente ao quartel dos Bombeiros Voluntários de Penafiel, verificou-se que a intensidade do ataque acabou por provocar a morte da Palmeira que constitui agora uma particular situação de risco à segurança das pessoas e bens.

O Rhynchophorus ferrugineus (Olivier), vulgarmente designado por "Escaravelho da palmeira" é uma séria e preocupante praga, agora comprovadamente em clara ameaça de muitas das palmeiras do nosso país.

Com origem tropical foi nas décadas de oitenta e noventa que esta praga iniciou a sua expansão, então pelo Médio Oriente e Norte de África. Em 1995 surgem de Espanha os primeiros registos do escaravelho na Europa, seguidos de confirmações posteriores noutros países da Orla Mediterrânica (Chipre, França, Grécia, Itália, Portugal, etc.).

Em Portugal é em 2007 que se encontra, pela primeira vez, esta praga em palmeiras da espécie Phoenix canariensis, mais concretamente no concelho de Albufeira.

Pouco tempo decorreu até quase toda a orla costeira do país se assinalar com a presença do escaravelho da palmeira, surgindo em 2010 as primeiras perdas de exemplares em Vila Nova de Gaia entrando mesmo, pouco tempo depois, em áreas privadas da cidade do Porto e em 2015 em Penafiel.


Fonte desta notícia | Câmara Municipal de Penafiel

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Pintora Graça Morais inaugurou exposição no Museu Municipal de Penafiel

Fuga do Caos e do Abismo” homenageia penafidelense António Rocha Melo

No passado dia 10 de novembro decorreu, no Museu Municipal de Penafiel, a inauguração da exposição “Fuga do Caos e do Abismo”, de Graça Morais, um dos maiores nomes da pintura portuguesa com reconhecimento nacional e internacional. A iniciativa contou com a presença de Antonino de Sousa, Presidente da Câmara Municipal de Penafiel e Maria José Santos, Diretora do Museu Municipal.

Com a colaboração do Município de Penafiel e coprodução Centro de Arte Contemporânea Graça Morais, a exposição “Fuga do Caos e do Abismo” tem como curador Jorge da Costa, e presta tributo ao penafidelense António Rocha Melo, neurocirurgião de renome internacional e distinguido em 1996 com a Medalha de Ouro da Cidade.
António Rocha Melo faleceu em 2006 e esteve sempre ligado ao círculo das artes através da Fundação de Serralves e da Cooperativa Árvore, no Porto. O neurocirurgião teve, ainda, um papel fundamental na concretização do Museu Municipal de Penafiel.
Para Antonino Sousa, Presidente da Câmara Municipal de Penafiel, “É com muita satisfação e orgulho que acolhemos, em Penafiel, uma exposição que retrata um tema muito atual na nossa sociedade, a crise da migração e dos refugiados. Nesta exposição, a pintora Graça Morais homenageia o seu amigo, António Rocha Melo, um penafidelense que teve uma carreira internacional de mérito e um papel fundamental na concretização do nosso Museu Municipal. Felicito a Graça Morais por esta atitude tão nobre e pelas suas magníficas obras.”
A exposição “Fuga do Caos e do Abismo” reflete uma das maiores crises humanitárias que tem como protagonistas migrantes a caminho do exílio e refugiados coagidos que arriscam a própria vida, na utopia de um destino melhor. Nas suas obras, Graça Morais baseia-se nas imagens transmitidas pelos meios de comunicação social que, apesar da tragédia, procura encontrar alento e compaixão ao contrapor com figuras heroicas e de esperança.
Graça Morais, autora da exposição, “Gosto muito de ver as minhas obras neste espaço amplo do Museu Municipal de Penafiel. A minha exposição homenageia um homem com grande sentido de humanidade e generosidade. Espero que as pessoas, ao visitar a minha exposição, reflitam sobre a crise humanitária que vivemos.”
Graça Morais, nasceu a 17 de março de 1948 e é natural de Vieiro, Vila Flor. Viveu por Moçambique, onde o pai lhe ofereceu a primeira caixa de aguarelas. Em 1961 ingressou no Liceu de Bragança, tendo em 1963 pintado os cenários da representação teatral do “Auto da Alma”, de Gil Vicente. Frequentou o curso de Pintura na conceituada Escola Superior de Belas Artes, do Porto. A artista deixou-se influenciar por pintores como Chagall, Van Gogh, Rembrandt e Francis Bacon. Em 1974 inaugurou a sua primeira exposição individual, em Guimarães. A pintora é também autora do documentário “Na cabeça de uma mulher está a história de uma aldeia”, um documentário sobre a mãe.
A artista portuguesa Graça Morais expõe a nível nacional e internacional, tendo sido várias vezes premiada pela sua obra pictórica. Também é alvo de documentários e tema de livros monográficos.
A exposição “Fuga do Caos e do Abismo” vai estar patente, no Museu de Penafiel, até 26 de fevereiro de 2017.
Fonte desta notícia | Câmara Municipal de Penafiel

Magusto juntou duas centenas de idosos da Freguesia de Penafiel


No dia 15 de Novembro de 2016 a Freguesia de Penafiel realizou o magusto - convívio juntando duas centenas de idosos da Freguesia de Penafiel, no salão do edifício sede da Freguesia de Penafiel. Este espaço foi convenientemente decorado com arranjos e trabalhos alusivos ao tema “ S. Martinho”.
Não faltaram as castanhas, o bom vinho novo e as tortas de S. Martinho. Mas o mais importante foi a alegria e o entusiasmo dos participantes que dançaram e cantaram ao som da música . Deste modo os idosos puderam dar azo à sua alegria e conviver respeitando a tradição da época. Como referiu D.ª Maria “Estão todos de Parabéns, tudo muito bem organizado… a comida muito boa, vinho muito bom! Só temos que agradecer ao Sr.º Presidente por tudo isto, são tardes como estas que nos fazem bem, é boa esta animação, este bailarico… Estamos todos contentes”. O Sr.º Joaquim ainda acrescenta “que o presidente não perca esta tradição…só temos a agradecer.”
Com a realização de atividades como estas, tal como refere Micael Cardoso, presidente da Freguesia de Penafiel, “ Reiteramos os nossos objetivos tais como colmatar dificuldades com que se depara este grupo etário tendo em conta as suas necessidades e estimular a sua integração social combatendo o seu isolamento e solidão. Sabemos que desta forma contribuímos para o processo do seu envelhecimento saudável atenuando o impacto dos fatores de risco inerentes à sua idade em termos de perdas cognitivas socio afectivas e psicomotoras”.


Fonte desta notícia | Junta de Freguesia de Penafiel

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Penafiel dos Tempos Idos | São Martinho


Feira de São Martinho de Penafiel em Tempos Idos | Vendedoras de castanhas assadas

"Em dia de São Martinho, lume, castanhas e vinho"

Em dia de São Martinho, feriado municipal, Penafiel voltou a cumprir a tradição e fazer juz ao ditado "São Martinho, lume, castanhas e vinho".
Por toda a cidade não faltaram dezenas de vendedoras de castanhas assadas e a quinta de puços tornou-se demasiado pequena para as milhares de pessoas que quiseram apreciar o vinho novo das várias adegas da região.






sábado, 12 de novembro de 2016

São Martinho | Padroeiro da Cidade de Penafiel

Não há data certa sobre o ano em que começaram as feiras de São Martinho em Penafiel. Segundo documentos existentes, as primeiras feiras de São Martinho, datam da fundação da igreja da freguesia de Moazares, no Século XI, igreja essa que só permanece a capela-mor, actual Capela de Santa Luzia.
Foi também neste século (XI) que muitos Francos da gasconha assentaram arraiais em Arrifana de Sousa movidos pela fé para tentar expulsar os mouros que por aqui se instalavam.
Acabado o conflito as tradições, quer pagãs quer religiosas voltaram a ter grande importância no povo de Penafiel e da região.
No São Martinho não faltavam arraiais, bailarico, e vinho-novo.
Mas para Teresa Soeiro, as festividades de São Martinho terão começado quando a sede de paróquia deixou Moazares e se mudou para uma nova e imponente igreja no lugar de Arrifana, em 1570.
A festividade começou por ter uma vertente mais litúrgica e religiosa, onde as populações das redondezas deslocavam-se à cidade para prestar culto ao santo, pagando promessas a ele dedicadas, mas com o passar dos anos a parte religiosa da festa ia-se perdendo.
Já em contraste a feira ia aumentando de ano para ano, com a venda da castanha assada, do vinho-novo, de produtos regionais, e até a iguaria da festividade, a torta de São Martinho.
Mas a partir de 1856, a Cólera, e em 1857 a febre amarela que devastaram o País causando milhares de Mortos, levaram a que o rei D.Pedro V fosse obrigado a proibir a realização de grandes aglomerações.
Daqui resultou a consequente proibição da realização da feira tradicional de São Martinho no dia 11 de Novembro passando a ser realizada no dia 11 de Abril.
O descontentamento levou a que o povo continuasse a realizar a feira com os cavalos, nos lugares de São Roque e Aveleda.
Logo a Câmara de Penafiel aproveitou esse facto e pediu ordem para que se realizasse a feira em Abril, pedido que foi aceite e que até há bem pouco tempo realizavam-se as feiras de São Martinho em Abril que ficaram popularmente conhecidas por São Martinho pequenino.


Nos finais de oitocentos a feira adquire nova vitalidade, com a linha do Douro. Os feirantes e os inúmeros forasteiros passaram a poder afluir com mais rapidez à cidade para gozar as festividades. Nos dias de hoje, a Feira de São Martinho, apesar de algumas diferenças com o passado, continua a ser uma das maiores romarias da região. Ou seja, a tradição ainda é o que era